transbordar

Porque há pessoas, pensamentos e sentimentos controversos.

Erica Marques

Paraense, jornalista, louca por séries e apaixonada por filmes. Escorpiana, tenta ser meiga, acredita ser romântica e na mudança através das obras cinematográficas e da leitura.
E tem como regra da vida: "Tudo o que você faz importa".

A importância de assistir filmes como Ressaca de Amor

Analisar criticamente as coisas é bom, rir é ótimo e relaxar a mente com “besteirol” às vezes é necessário.


ressaca de amor01.jpg Jason Segel e Kristen Bell vivendo os protagonistas em Ressaca de Amor, considerada uma comédia dramática.

Assistir um filme cult é bom? Sim. Um filme de drama ou baseado em fatos reais? Com certeza. Mas é bom também ver aqueles filmes considerados ‘besteirol’. Daquele tipo que a cada cena você possa dizer “mas que doidice” e quem sabe até sorrir.

Em tempos de pós-eleição presidencial, para alguns está difícil se manter informado dos rumos políticos do país, navegar nas redes sociais e sobreviver ao dia-a-dia no trabalho ou estudo. Como um modo de desligar de toda essa tensão, muitos decidem relaxar assistindo um filme ou lendo um livro.

Particularmente amo filme de terror, drama, comédia romântica e longas baseados em casos reais. O que todos esses filmes tem em comum? Momentos de importantes reflexões, mas que fazem pessoas sensíveis (como eu) chorar.

Após ver durante um mês obras a respeito do nazismo , primeira guerra mundial e histórias de serial killers, percebi que deveria colocar minha mente para relaxar ou eu não conseguiria sentir leveza durante o resto dia. Por isso, por muito custo, notei que precisava assistir um filme leve. Um filme em que eu não pensasse em nada, não refletisse nada, não comentasse sobre mil teorias. Um filme que eu apenas consumisse sem maiores pretensões. Estava na hora de eu me render ao tipo de filme que eu tenho mais aversão: o famoso besteirol americano.

Em 2009 pensei ter comprado um filme de comedia romântica açucarada, mas a primeira cena foi o suficiente para não dar continuidade e perceber o engano. Porém, eu nunca esqueci o título. Então, 10 anos depois resolvi escolher esse filme para assistir. O nome dele? Forgetting Sarah Marshall (2008), traduzido no Brasil como Ressaca do Amor.

A história narra a dificuldade do músico Peter (Jason Segel) ao tentar superar o término de seu namoro com a famosa estrela de televisão Sarah (Kristen Bell). Para tentar sair da tristeza, resolve ir para o Havaí, mas ao chegar no local encontra sua ex-namorada com um novo companheiro, o astro Aldous (Russell Brand).

Com diálogos simples, cenas bestas e momentos bem clichês, posso dizer que o filme fez eu marcar uma das minhas metas de 2019: assistir algo que nunca consegui terminar.

Apesar de certos momentos serem um pouco forçados para fazer rir, outros conseguem arrancar gargalhadas verdadeiras. Até certas conversas entre os personagens antes inimagináveis na vida real, tornam-se verdadeiras quando lembramos dos absurdos falados quando estamos em um grupo com amigos.

Possuindo o fim de um relacionamento como tema principal, os roteiristas conseguiram apresentar o lado da pessoa que mais sofre com o término: desde a falta de vontade de fazer as coisas, até se focar no trabalho para conseguir superar a fase ruim.

Falando de representação, Jason consegue retratar perfeitamente o homem bobão, romântico e engraçado. E mesmo que o trabalho cinematográfico de Kristen, Russel e Mila (personagens do núcleo central),não sejam tão conhecidos nas telonas, serão lembrados por viver Sarah, Aldos e Rachel, respectivamente seus personagens.

Por fim, Ressaca de Amor é o tipo de filme que pode ensinar três coisas: 1. Que é importante a gente sair da nossa zona de conforto, seja em relação a filme ou livro. 2 Nem que seja 1% é possível se surpreender com o que desconsideramos. 3. Analisar criticamente as coisas é bom, rir é ótimo e relaxar a mente com “besteirol” às vezes é necessário.


Erica Marques

Paraense, jornalista, louca por séries e apaixonada por filmes. Escorpiana, tenta ser meiga, acredita ser romântica e na mudança através das obras cinematográficas e da leitura. E tem como regra da vida: "Tudo o que você faz importa"..
Saiba como escrever na obvious.
version 1/s/cinema// @obvious, @obvioushp //Erica Marques