Soraya Rodrigues de Aragão

Psicóloga, psicotraumatologista,Expert em Medicina Psicossomatica e Psicologia da Saude. Escritora e palestrante.Estudante de Sexologia. Sócia da Sociedade Italiana de Neuropsicofarmacologia e membro da Sociedade Italiana de Neuropsicologia. Autora dos livros Fechamento de Ciclo e Renascimento, Supere desilusões amorosas e pertença a si mesmo e Liberte-se do Pânico e viva sem medo! Sites: www.sorayapsicologa.com e www.alquimiadavida.org.
Email: [email protected]

Seja você o maior projeto da sua vida!

Você planeja e projeta a sua vida ou simplesmente espera que as coisas aconteçam ou que outras pessoas escolham em seu lugar? Sim, pode acontecer de nos sentirmos confusos entre empreender um caminho ou outro, mas lembre-se que o melhor caminho que você escolhe é aquele em que você é o referencial.


Por qual motivo as pessoas decidem planejar mudanças somente no Final do Ano? Por que esperamos para promover transformações fundamentais para a melhoria da nossa qualidade de vida e bem estar somente em uma data específica? Obviamente que existe um fator cultural forte em que a simbologia é o encerramento de algumas etapas para iniciarmos outras. Contudo, seria realmente necessário esperar 365 dias para realizarmos aquela renovação que precisamos, para procedermos ao início de um processo de autoconhecimento e de autodesenvolvimento? Precisaríamos de fato de um marcador temporal para planejarmos a resolução de situações pendentes?

badesalz-1620255_1920.jpg

Dentre tantos projetos que elaboramos, como emagrecer, fazer um novo curso, aprender uma nova habilidade, dentre tantas coisas, acredito que o principal está sendo esquecido: um plano de desenvolvimento para a nossa evolução pessoal.

Elenquei aqui com muito carinho 5 pontos que acredito serem fundamentais para um novo posicionamento diante da vida.

1- Você pertence a si mesmo?

boy-477013_1920.jpg

É você quem decide o momento de pertencer-se. Em outras palavras, é você quem deve ter o poder sobre si mesmo e não pessoas, objetos e condições, principalmente aqueles que nos causam danos ou pesar. Qualquer mudança parte de uma decisão que irá condicionar novos comportamentos, criar novas sinapses neuronais, novas maneiras de ser, estar, ver e se relacionar com as pessoas e o mundo à nossa volta.

Estamos constantemente em processo de transformação do nosso ser, através de novas dinâmicas que desejamos vivenciar em nossas vidas. Contudo, convém não esquecermos que é totalmente contraproducente esperar que as mudanças que desejamos aconteçam de fora para dentro. Portanto é imprescindível entrarmos em um processo de conscientização do que queremos, porque queremos e quais os movimentos que precisamos proceder para que esta transformação aconteça. Somos nós quem decidimos quando deixar a primavera florir novas experiencias, traçar novos rumos e seguir novos caminhos. A maioria de nossas amarras somos nós quem criamos, visto que somos livres em essência, embora muitas vezes não estejamos conscientes disto.

2- Qual a sua participação nas mudanças que ocorrem na sua vida?

Você planeja e projeta a sua vida ou simplesmente espera que as coisas aconteçam ou que outras pessoas escolham em seu lugar? Sim, pode acontecer de nos sentirmos confusos entre empreender um caminho ou outro, mas lembre-se que o melhor caminho que você escolhe é aquele em que você é o referencial. Por outras palavras, embora existam outras pessoas envolvidas em nossa dinâmica de vida, existem pendencias que somente poderemos resolver conosco, frente a frente, daquilo que precisamos modificar e curar em nós mesmos, sendo algo interno, intimo e personalizado, de si para consigo, para depois estender-se para os outros, se este for o caso.

Sendo assim, seja mais participativo com as coisas que lhe acontecem. Mude hoje, se transforme, evolua, faça diferente hoje, agora, não espere mais nenhum segundo. Pare de se autossabotar esperando momentos específicos, circunstâncias externas, datas marcadas e culturalmente estabelecidas e pactuadas com brindes de taças e fogos de artifício. Você é quem estabelece as suas mudanças de acordo com o seu momento, as suas prioridades e necessidades. Portanto empodere-se, se pertença, se cuide, se ame! Deixe de se enganar, que quanto mais você prorroga, mais as horas passam através dos ponteiros do auto boicote que você estabeleceu para si esperando que os outros ou as circunstancias se encarregassem de mudar algo em sua vida.

3- Tudo o que lhe acontece direta ou indiretamente é responsabilidade sua.

beautiful-2405131_1280.jpg

Deixe de terceirizar responsabilidades e principalmente a sua felicidade. Assuma o poder do seu “destino”, das suas escolhas e conseqüências sejam estas “boas” ou “más”. Tudo é treino e aprendizado. Não existe nenhum parâmetro que possa definir o compromisso que você tem para consigo e com sua evolução. Pare de se vitimizar, seja proativo e mude o que não é agradável para você, não aceitando ganhos secundários que boicotam seu progresso e sua felicidade. Já pensou em mudar de perspectiva e deixar de ser vítima de si mesmo e dos outros?

A partir de hoje, sente e tenha uma conversa sincera consigo: o que te traz plenitude, o que te harmoniza, o que te deixa inteiro e feliz? Uma vez identificadas, integre-as em seu cotidiano. Somente através de uma reforma íntima, é que poderemos selecionar o que vai e o que fica. Não somente viva, exista!

4- Desconstrua padrões de repetição negativos.

Para a desconstrução de padrões negativos é necessário sair da famigerada zona de conforto, fazer diferente, seguir novas estradas, deixar para trás velhos atalhos que trazem os mesmos resultados, mas que insistimos em prosseguir, em dar mais uma chance àqueles padrões negativos que tentamos colocar em voga, intensificando-os, tornando-os mais vivos. Para proceder à desconstrução destes padrões que não desejamos mais dar morada em nossos comportamentos, é imprescindível trabalhar as crenças que os alimentam. E para derrubar velhos muros e levantar uma nova arquitetura, somente será possível através do autoconhecimento.

O autoconhecimento nos sinaliza de onde provém aquela culpa destruidora que nos martiriza, o medo que nos imobiliza, a angústia desesperadora que nos arrebenta a alma e que tantas vezes não sabemos explicar exatamente o motivo. A clarificação destes conteúdos “escondidos” nos possibilita a elaboração e conseqüente “libertação” do nosso ser. Você deseja realmente ter qualidade de vida e fazer diferente? Invista em autoconhecimento.

5- A importância da gratidão para a vivência de uma prosperidade plena.

A prosperidade somente fará parte da sua vida quando você desenvolver o sentimento genuíno de gratidão. A falta de gratidão promove o desenvolvimento da comparação e este paralelo comparativo geralmente leva à inveja, competição e toda a gama de sentimentos que culminam em lamentações, reclamações, sentimentos de falta, escassez e de precariedade. A ingratidão se estabelece na falta e na carência. Tudo é percebido como insuficiente e nada satisfaz.

Ao contrário, a gratidão transforma as nossas vidas por bendizermos e darmos graças ao que estamos usufruindo automaticamente e que geralmente reconheceríamos a sua importância, quando nos fosse tirado, quando nos fizesse falta. É exatamente a percepção da ausência, a sensação de escassez, do que ainda não temos ou usufruímos, do que não conquistamos que nos tornamos infelizes. Isto porque muitas vezes nos fixamos nos pontos de nossa vida que ainda não prosperaram ou que assim não foram percebidos por nós. Geralmente não nos focamos nas riquezas diárias que possuímos e não estou somente falando de prosperidade material, mas em prosperidade em todos os sentidos, sobretudo a prosperidade existencial. Gratidão é mais que um treino diário do agradecer mecânico, mas é um sentimento genuíno de plenitude e felicidade. Agradecer é terapêutico, curativo e reconfortante.

E então, você já agradeceu hoje pelas benesses da sua vida, pelo que usufrui aqui e agora? Exercite imaginar como seria a sua vida sem esses usufrutos que são utilizados “no automático”?

6- São das pequenas decisões diárias que nascem mudanças significativas.

Você está atento às suas decisões, mesmo aquelas as quais acredita não ter repercussões significativas? Como diz o antigo ditado chinês: “O homem que move montanhas, começa carregando pedras pequenas”. Reflita do que tem feito da sua vida, se é consciente de suas escolhas ou se estas são feitas no calor do impulso.

Para refletir:

Não existe um demarcador de tempo para as elaborações que urgem em nosso ser, para refletirmos da maneira como reagimos às circunstâncias, deixando-nos de nos auto torturar, promovendo nossa autodisciplina, auto harmonização, agradecendo pelo que se tem e principalmente para pertencer-se. Então, deixe de se enganar e comece agora mesmo a realizar as mudanças que você julga necessárias para a melhoria da qualidade da sua vida.

Espero sinceramente que neste ano que se inicia, você não faça apenas projetos novos, mas que sobretudo, o maior empreendimento, o maior projeto seja você mesmo!


Soraya Rodrigues de Aragão

Psicóloga, psicotraumatologista,Expert em Medicina Psicossomatica e Psicologia da Saude. Escritora e palestrante.Estudante de Sexologia. Sócia da Sociedade Italiana de Neuropsicofarmacologia e membro da Sociedade Italiana de Neuropsicologia. Autora dos livros Fechamento de Ciclo e Renascimento, Supere desilusões amorosas e pertença a si mesmo e Liberte-se do Pânico e viva sem medo! Sites: www.sorayapsicologa.com e www.alquimiadavida.org. Email: [email protected] .
Saiba como escrever na obvious.
version 3/s/recortes// @obvious, @obvioushp //Soraya Rodrigues de Aragão