Soraya Rodrigues de Aragão

Psicóloga, psicotraumatologista, terapeuta sexual, Expert em Medicina Psicossomatica,e Psicologia da Saude. Escritora e palestrante.Estudante de Terapia de casal e Familia. Sócia da Sociedade Italiana de Neuropsicofarmacologia. Autora dos livros Fechamento de Ciclo e Renascimento, Supere desilusões amorosas e pertença a si mesmo, Liberte-se do Pânico e viva sem medo e Talita e o portal. Sites: www.sorayapsicologa.com e www.alquimiadavida.org.
Email: [email protected]

Nem todos terão olhos para ver e coração para sentir o valor que você tem. Portanto, respeite-se!

O respeito é base para relacionamentos sólidos e duradouros, sendo gerador de sensações de solidariedade, gratidão e amor, assim como de atitudes como o cuidado e a empatia.


Muitas pessoas ainda não têm a noção exata do verdadeiro sentido da palavra respeito, nem da profundidade e da capacidade que este sentimento tem de gerar sensações positivas e construtivas em nossas vidas. O respeito está diretamente relacionado ao olhar de cuidado e consideração que nutrimos por nós mesmos e por nossos semelhantes. O respeito é base para relacionamentos sólidos e duradouros, sendo gerador de sensações de solidariedade, gratidão e amor, assim como de atitudes como o cuidado e a empatia. Sendo assim, é um sentimento sagrado que precisamos necessariamente nutrir todos os dias para que seja internalizado. A representação mental através de vivências do respeito em nossas vidas é uma dinâmica que sobretudo deve iniciar de dentro para fora com condicionamentos e elaborações constantes através do treino de habilidades de condutas assertivas.

O respeito a si próprio está diretamente relacionado com a capacidade de sermos íntegros, respeitando os nossos limites, através da auto escuta do que nos incomoda, premissa para nos tratarmos com carinho, cuidado, dedicação e consideração. Ter respeito por si mesmo é exercer valores e princípios que são os códigos de conduta e ética pessoais e sociais sólidos que serão os pilares de nossas posturas perante nós, o outro e a vida.

girl-3141766_1920.jpg

O respeito deve sobretudo ter um sentido pessoal e não para demonstrar ao outro o valor que se tem. Você não precisa da aprovação de ninguém para se amar e se cuidar, pois nem todos terão olhos para ver e nem coração receptivo para sentir o que é único em você. Quando olhamos a questão por esta perspectiva, o panorama muda, porque a partir deste novo olhar, vislumbramos a unicidade, subjetividade e a obra de arte única que somos, fazendo com que nossa postura de auto percepção e de auto imagem mudem. Ao contrário de estar em um estado de espera do outro para ser amado, seja pro-ativo: presenteie a si mesmo o que você gostaria de receber das outras pessoas, seja a nível afetivo que material.

Reflexão Transmutativa:

Pergunte a si mesmo: será que não é você que está se colocando em situações que não “deseja”? Será que é você que não está se valorizando, se priorizando? Veja bem, não confunda orgulho e vaidade com autoestima e amor próprio; e exatamente por este motivo é que você já deve saber que se não tiver respeito por si mesmo, ninguém o terá. São muitas questões que precisam ser colocadas em pauta para que você compreenda como se relaciona com o outro e principalmente consigo. Portanto, ame-se, respeite-se, valorize-se, preserve sua imagem, valores e princípios, por você e não para obter valorização do outro. O mais que vier será apenas um complemento do que já está em estado de plenitude.


Soraya Rodrigues de Aragão

Psicóloga, psicotraumatologista, terapeuta sexual, Expert em Medicina Psicossomatica,e Psicologia da Saude. Escritora e palestrante.Estudante de Terapia de casal e Familia. Sócia da Sociedade Italiana de Neuropsicofarmacologia. Autora dos livros Fechamento de Ciclo e Renascimento, Supere desilusões amorosas e pertença a si mesmo, Liberte-se do Pânico e viva sem medo e Talita e o portal. Sites: www.sorayapsicologa.com e www.alquimiadavida.org. Email: [email protected] .
Saiba como escrever na obvious.
version 5/s/recortes// @obvious, @obvioushp //Soraya Rodrigues de Aragão