travessia

Sobre a vida em suas vertentes

Élida Reira

Dialoga com o vento e a chuva e os pede retribuição de afeto

Oceania (sobre imigrar)

Quando imigramos, é inevitável as profundas transformações na nossa forma de ver o mundo e o nosso próprio país. O processo de adaptação pode ser doloroso, mas sem dúvida, o aprendizado é grandioso.


shield-953513_960_720.jpg

As convicções que pareciam sólidas rochas, na verdade, eram de gelo e na travessia do oceano, simplesmente se derreteram. Desde que cheguei neste continente, muita coisa mudou em mim. As certezas se foram e o que era um mundo distante, apenas um vulto indefinido, se materializou, se integrou ao meu e nasceu! Agora... Além de saber o que é começar, sei o que é recomeçar. Sei o que é partir e chegar e o que é vivenciar chegadas e partidas. Sei que essas partidas deixam saudade e alegram as lembranças quando retorno a chegada através delas. Agora... Sei também como é ter a sensação de nascer num corpo desenvolvido, num mundo sem compreensão! Nesta etapa, sorri, vi paisagens jamais imaginadas, encontrei pessoas encantadoras, troquei experiências, aprendi sobre cultura e história, aprendi que a humildade é bem vinda em todo lugar, aprendi sobre a vida e ainda estou aprendendo o idioma. Nesta etapa, me vi fracassar, me desesperei, chorei, me acalmei, enxuguei as lágrimas, vi os problemas passarem... E cada dia, é um recomeço!

Aqui, confirmei que o mundo é similar em sua base e não adianta procurar escape. Confirmei também, que não sei nada sobre nada! A visão de um ângulo só é nula! Toda essa vivência me ensina e intriga... E eu indago: Como esticar essas pernas curtas pra me equilibrar entre um lado e o outro do mundo? O mundo é grande e pequeno e a vida é momentos!

Onde encontrar pessoas que queiram ver o que existe por baixo da economia? Quem se importa com o que sobrará no Sudão, na África central ou na Síria? Como destruir uma imagem que "acidentalmente consciente" refletiu em mim? Como equilibrar o ódio e o amor pelo mesmo objeto? Humanos são humanos em suas contradições de uma ponta a outra do oceano. O sonho sem força é simplesmente sonho! A vida vai passando e cada dia estamos mais próximos da morte!

Concluo, O conhecimento é grande demais pra caber em mim. A alegria é fugaz demais pra se manter em mim. A tristeza é intensa demais pra não marcar... Ela ensina! Dentro dessa selva dúbia do meu EU... Encontrei força!

"O dia vai raiar, pra gente se inventar de novo!" Cícero


Élida Reira

Dialoga com o vento e a chuva e os pede retribuição de afeto.
Saiba como escrever na obvious.
version 2/s/recortes// @obvious, @obvioushp //Élida Reira