travessia

Sobre a vida em suas vertentes

Élida Reira

Dialoga com o vento e a chuva e os pede retribuição de afeto

As amarras modernas

Sobre compromissos.


black-and-white-lasndscape-2024519__340.jpg É triste estar no 'engesso' do compromisso, da falta de gosto e de vontade. Não existe êxtase e muitas vezes nem aprendizado. É um corpo, arrastado pelos pés, com muita dificuldade, demonstrando seu desânimo e recebendo de troco inquietação, rancor e tristeza. Fazer o que não gosta, o que não tem prazer, é como jiló cozido... Amarga. Amarga as horas, os dias, os meses, os anos... A vida! E a vida, já afetada pela amargura e acorrentada pela obrigação, pela responsabilidade e pelo outro, não dá muitas alternativas pra recomeçar. É preciso muita coragem pra não morrer na amargura. Exige- se determinação e aberturas. Não é possível zerar tudo, sem dar um passo atrás. Com coragem, ganha-se lá na frente. chains-19176__340.jpgVarias áreas da vida podem nos incomodar. Pode ser uma amizade, um curso, um relacionamento ou qualquer outra coisa, mas o que mais incomoda, é sem dúvida, o emprego e questões atreladas as necessidades. Dois quesitos, que a política está inserida com suas contradições e amarras. Política, falso moralismo e sistema econômico na vida pessoal se torna um emaranhado difícil de desfazer. Uma reflexão daqui, outra dali. E a gente foge de uma coisa e se joga nos braços de outra, mostrando que é impossível fugir da contradição. Não existe liberdade, são apenas opções. Opções num labirinto, que torcemos numa aflição agonizante para encontrar a saída. Pra mim mesma, eu digo: Pra não morrer na amargura, no labirinto... faça o que parece loucura! Lembre-se: "Às vezes é necessário, um passo atrás, para dar dois a frente!"


Élida Reira

Dialoga com o vento e a chuva e os pede retribuição de afeto.
Saiba como escrever na obvious.
version 2/s/sociedade// @obvious //Élida Reira