tributo ao caos

Palavrar é libertar

Aline Valadares

Escrevo melhor que falo, mas não tenho nenhum livro publicado. Tenho um bom humor, mas não quando estou de TPM. Costumo me expressar escrevendo e fotografando, mas nem sempre sou boa nisso. Estou acabando com o curso de jornalismo antes que ele acabe comigo

Amigos e a magia da mesa do bar

Vamos começar uma amizade? Não é tão difícil assim. Posso te contar segredos e te ouvir como ninguém.


cerveja_happy_hour_-_Kzenon_Shutterstock.jpg

O que não falta na vida é assunto pra ser refletido. Esta semana, por exemplo, me peguei em êxtase observando a forma como o vento interfere no balanço das árvores. Não sei se é coisa da minha cabeça, mas árvores balançam em câmera lenta e parecem estar dançando uma valsa ou qualquer outra coisa menos piegas. Escrevi mais sobre isso em outro texto, mas uma amiga de infância (informação importante para que saibam que ela apenas queria meu bem) me ajudou a entender que talvez este não seja lá um tema de interesse coletivo. Mas, esse texto aqui que você está começando a ler agora te interessa. Eu tenho certeza que sim. Posso até apostar dinheiro nisso.

Esquece a parte do dinheiro. Se você está aqui neste segundo parágrafo é porque você confiou em mim e confiança é coisa de amigo, logo: acabamos de nos tornar amigos. Brincadeira, viu? Nem te conheço. Você pode ser um sociopata. Sempre ouvi falarem que sou uma pessoa que faz amizades rapidamente. Ironicamente, sempre critiquei quem faz amizades rapidamente. Antes de chamar uma pessoa de amiga você precisa saber se ela passaria um dia inteiro ouvindo você falar de um amor não correspondido e vice-versa. Há outras formas, mas acredito que esta deve ser a mais eficaz. Basta prolongar o teste por vários dias e várias semanas e vários meses. Por anos já acho demais e, neste caso, seria bom indicar um acompanhamento psicológico aí pra sua parceira. Ou uma sessão de descarrego. Entre em um acordo com ela.

Mês passado fiz XX anos. Não quero dizer minha idade para que você não crie conceitos prévios. Estamos construindo uma amizade, certo? Se livre de estereótipos. Voltando... Neste meu aniversário resolvi fazer um grupo no whatsapp para otimizar meu tempo quando fosse comunicar onde tomaria uma cerveja. Os que não são adeptos a esta tecnologia, foram comunicados individualmente. No grupo, tem amigos de infância, amigos que herdei do jornal, amigos de adolescência, amigos das ruas, irmã e – ACREDITEM – tem até ex-namorado. Não nos julguem. Estamos apenas praticando a maturidade nestes últimos dias. Quase todos foram ao meu encontro e sentaram juntos na mesma mesa, claro. Mesa esta que, inclusive, já abrigava a matriarca da galera, mais conhecida como minha mãe e, pra fechar o time, meus amigos usufruíram também da presença da minha ex-babá, que é quase outra mãe.

Estas pessoas formam o grupo mais nada a ver que eu faço parte no whatsapp. Posso até arriscar em dizer que quase ninguém do mundo tem um grupo tão sem sentido como esse. Depois do meu aniversário, o grupo não foi desfeito. Mesa de bar é algo sagrado, gente. O contato na mesa do bar é mágico e a magia dura até hoje. Alguns não resistiram e pediram para sair, mas a maioria interage e se tornaram até próximos depois deste grupo (bate até ciúme). Cheguei até a propor individualmente que saíssem, mas nada, o grupo vingou.

Este último parágrafo, meus queridos-futuros-amigos, revela o que eu queria falar desde a primeira linha. É uma coisa que eu e meus amigos, que estão se tornando amigos entre si, descobrimos juntos: o significado da palavra sororidade. Sim! Foi ela que nos uniu e virou até o nome definitivo do grupo. Absorvemos o que há de mais essencial nesta palavra. Colocamos em prática os maiores clichês: podemos ser amigos uns dos outros, podemos nos abrir, podemos conhecer novas pessoas, novas histórias, sem julgar antes de saber sobre a barra que cada um segura que é gostar de alguém. Resumindo, este texto é para celebrar a amizade, mas não só entre mulheres. Entre homens também. E entre mulheres e homens também – isso é possível sim, galera! Agora, vá lá descobrir com seus amigos e futuros amigos o que significa esta e outras palavras que não são ditas, nem praticadas. Mas, volte para me ler de novo, afinal, estamos construindo uma amizade, certo? Toca aqui!


Aline Valadares

Escrevo melhor que falo, mas não tenho nenhum livro publicado. Tenho um bom humor, mas não quando estou de TPM. Costumo me expressar escrevendo e fotografando, mas nem sempre sou boa nisso. Estou acabando com o curso de jornalismo antes que ele acabe comigo.
Saiba como escrever na obvious.
version 2/s/recortes// @destaque, @obvious //Aline Valadares