um abraço para o mundo

A vida é uma porta sem tranca e uma janela sem tramela

Frederico Tomazetti

Nasci Gaúcho, fui adotado por Minas Gerais, programado computadores para ganhar a vida e escrevo para alegrá-la.

O cérebro é o órgão mais burro do corpo humano

Não sou médico, nutricionista, neurologista, fisiculturista ou qualquer outro "ista" que circule por ai. Este artigo é uma forma bem humorada de explicar o que aprendi sobre dietas e alimentação saudável.


burro4.jpg Pré-história, TrogoSilva é um homem das cavernas que precisa todos os dias sair com sua lança de madeira para caçar o almoço para si e para a prole. Pode ser um mamute ou qualquer outro animal que esteja distraído perto de sua caverna.

Se não houver alguma presa fácil por perto, TrogoSilva vai precisar andar por ai atrás de algo que possa ser servido à mesa. Mas andar por ai pode ser perigoso, ele ao sair atrás do almoço pode ser transformado em jantar por outro predador maior.

O cérebro de TrogoSilva, em desenvolvimento, com rudimentares conhecimentos ainda, emite ordens a todo o momento: "Armazene gordura, nem sempre a caça é farta", ou então: "Cuidado com os predadores" e quando um potencial predador surge, o corpo de TrogoSilva deve estar apto a correr, fugir, defender-se e para isso o cérebro comanda diversas glândulas no corpo de TrogoSilva para que alimente os músculos com choques de adrenalina e outros elementos capazes de transformar TrogoSilva em um ágil corredor, dar força suficiente para uma luta ferrenha ou deixá-lo mais atento a tudo o que passa em sua volta.

E assim, por milhares de anos, o cérebro de TrogoSilva foi condicionado a adaptar-se a situações extremas, justamente para que a espécie não fosse extinta.

Ocorre que TrogoSilva desenvolveu a inteligência, inventou a roda, descobriu o fogo, a agricultura, domesticou animais e com o passar das eras glaciais a vida ficava um pouco mais fácil, as fontes de alimentos começaram a ser controladas e os predadores já não assustavam tanto quanto antes.

O fogo teve uma forte influência nesta evolução de TrogoSilva. Com ele era possível cozinhar alimentos, forjar ferramentas e armas, afastar predadores, aquecer o corpo e a caverna. A vida melhorou muito desde então.

flinstone.jpeg

Nos dias de hoje quando o TrogoSilva quer almoçar ele vai ao restaurante, senta-se à mesa e vários garçons passam de minuto em minuto com um belo espeto com todo tipo de carne que se possa imaginar, todas assadas no ponto, bem temperadas, saborosas e com a mesma ou até mais quantidade de gordura do que os antigos mamutes caçados a lança no tempo das cavernas.

Quando está em casa, hoje, TrogoSilva consegue alimentar-se a cada 3 ou 4 horas no dia com o esforço suficiente para abrir uma geladeira, ligar um fogão ou um microondas. Todos estes alimentos estão disponíveis em supermercados e mercearias, TrogoSilva nem precisa mais ter o trabalho de cultivá-los em seu quintal ou então cuidar de uma criação de animais domesticados.

Quando TrogoSilva sai às ruas, não existem mais tigres-dente-de-sabre querendo transformá-lo em almoço, não existem mais predadores que possam ceifar a vida de TrogoSilva atrás de cada árvore ou pedra da floresta.

Mas o cérebro ainda não entendeu isso e continua enviando os mesmos comandos: "Guarde gordura, a caça pode não ser farta", principalmente quando o corpo sente fome. Fome para o cérebro é sinal de escassez e o corpo de TrogoSilva engorda, pois a pizza hoje chega logo depois de um simples telefonema.

TrogoSilva hoje trabalha o dia inteiro sentado e suas preocupações são outras, para manter o status social, para ganhar dinheiro para o aluguel e para comprar a comida, TrogoSilva passa por situações estressantes e de pressão psicológica na mesma intensidade que na época das cavernas ocorria quando um tiranossauro resolvia aparecer para transformá-lo em um saboroso jantar. Era preciso correr, havia o stress de tentar salvar a própria pele, ficar vivo, que o predador vá procurar outra presa!

Quando o cérebro recebe sinal de stress, hoje, continua fazendo a mesma coisa que sempre fez, ou seja, comanda as glândulas do corpo para liberar elementos que irão auxiliar o TrogoSilva a fugir do perigo, os músculos de TrogoSilva estarão aptos a correr para as montanhas ou para a caverna, mas perai, não existem mais tiranosssauros ou tigres-dente-de-sabres lá fora, TrogoSilva não precisa mais correr, matar um touro "a unha" para sobreviver.

A ameaça hoje é outra, mas o cérebro ainda não entendeu isso e TrogoSilva continua guardando a gordura inútil no corpo e o stress o faz ficar doente, pois não precisa mais das adrenalinas e adjacentes para o corpo fugir. Isso fica rodando a corrente sanguinea e com o tempo ele adoeçe. TrogoSilva tem agora doenças modernas porque sua inteligência evoluiu mais que o seu cérebro.

TrogoSilva teve a idéia deste artigo enquanto corria em cima de uma esteira, em uma academia, justamente para eliminar a gordura acumulada desnecessariamente durante anos.

gordonaacademia.jpg

NOTA IMPORTANTE: Se você quer emagrecer, procure um médico! Não seja TrogoSilva


Frederico Tomazetti

Nasci Gaúcho, fui adotado por Minas Gerais, programado computadores para ganhar a vida e escrevo para alegrá-la..
Saiba como escrever na obvious.
version 2/s/recortes// @destaque, @hplounge, @obvious, @obvioushp //Frederico Tomazetti