Samira Calais

Você ama essa mulher?

Moça, seja verdadeira com os seus sentimentos. Se enxergar sem máscaras e com carinho é um processo longo, que exige dedicação e desconstrução. Se olhe no espelho. Veja no fundo dos seus olhos. Você ama essa mulher?


Eu sei que você tem tentado se amar. Eu sei que é difícil se olhar com carinho.

Não somos acostumadas a nos admirar, a nos achar capazes. E agora você começou a entender que tem esse poder. Que você pode ser cada vez mais inteligente. Que você pode se sentir cada vez mais linda. Que você pode confiar genuinamente em você. Que ao seu redor você tem uma rede de mulheres que vão te apoiar quando precisar. Que você é forte e aguenta passar por sofrimentos que nunca imaginou. Que você é grata e recebe conquistas com o coração aberto.

A todo momento somos cobradas de uma perfeição que não existe. E essa cobrança começa ainda na nossa infância. Assim, desenvolvemos um relacionamento raso e vazio com o nosso corpo, com as nossas ideias, com a nossa essência. Não nos sentimos boas o bastante, não sentimos que somos merecedoras, não acreditamos no nosso potencial. Só nos sentimos realizadas quando estamos magras. Ou quando estamos nos relacionando. Ou quando temos a casa ideal. Ou quando estamos no emprego dos sonhos.

Se enxergar sem máscaras é um processo longo, que exige dedicação e desconstrução. Se olhe no espelho. Veja no fundo dos seus olhos. Você ama essa mulher? Você dá para ela o mesmo carinho que dá para quem está ao seu redor? Você faz por ela tudo o que você faz pela família, pelos amigos, pelo companheiro ou companheira? Você acredita que ela pode conquistar o que quiser?

No meio desse caminho de autocuidado somos fortalecidas por outras mulheres que também estão nesse processo, que é constante. É muito decisivo se cercar de mulheres que te apoiam, algumas das nossas vivências são tão parecidas que se misturam. Mas olhe com cuidado para a luta das mulheres ao seu redor. Cada uma de nós passa por suas dificuldades. Olhe com cuidado para as mulheres negras que te cercam. Olhe com cuidado para as mulheres trans, para as mulheres indígenas, para as mulheres que já são mães, para as mulheres idosas... Perceba as diferenças, celebre as semelhanças.

Reconhecer-se é o primeiro passo para se admirar. Reconhecer as suas conquistas, reconhecer suas evoluções, mesmo que sejam pequenas. Reconhecer seu ciclo de mulheres, reconhecer suas opiniões genuínas. Reconhecer sua beleza, reconhecer sua essência no seu corpo imperfeito. Reconhecer o poder que sai de você. Nunca deixe de se olhar.

Moça, observe as suas vontades. Elas dizem muito sobre a pessoa que você se tornou.

Moça, seja gentil com o seu corpo. Peça desculpas por todas as vezes que não o amou. Ele é o seu lar.

Moça, seja verdadeira com os seus sentimentos. Você já passou por muito e merece todas as coisas boas que a vida está trazendo.

mulher_borboleta.jpg


version 1/s/sociedade// @obvious, @obvioushp //Samira Calais