um docê de pimenta

Mudanças e emoções: difíceis entender, possíveis de sentir

Renata Carvalho

Pequena, cheia de sonhos para realizar e emoções para dividir! Autora do blog: Um d'ocê de pimenta "www.umdocedepimenta.wordpress.com"

E se você (pai) tivesse a segunda chance, o que faria?

Ser pai é muito mais que colocar um filho no mundo.
É participar da vida de seu filho!


o-FATHER-AND-BABY-facebook.jpg

Até que ponto é importante a presença/amor de um pai na vida de um filho? Dependendo de cada situação eu imagino que seja muito.

Recentemente li sobre uma pesquisa realizada pela Universidade de Connecticut, nos EUA, do quanto o amor de um pai influencia na personalidade da criança e o resultado é interessante, pois as crianças sentem a rejeição como se ela realmente fosse uma dor física. Concordo com a pesquisa e sei o quanto nós filhos sofremos com isso.

Ser pai é “muito mais que:” colocar um filho no mundo, que lembrar do aniversário do filho que completa 15 anos e achar que é 13, que depositar a pensão todo mês, que comprar o remédio quando o filho adoece, que leva-lo durante anos para passear no mesmo lugar só porque é próximo de casa e economiza gasolina, tempo e dinheiro, que aparecer na véspera do natal para receber das mãos do seu filho o presente que ele comprou do dia dos pais porque foi quando teve seu “precioso” tempo (tudo isso depois de muitas adulações e humilhações).

Ser pai é muito, mas muito mais do que isso, ser pai é dar carinho é ser atencioso e ao menos ser presente na vida de um filho. Exceto para os pais que já faleceram.

Quantas “pães” existem espalhadas pelo mundo e que merecem todo nosso respeito e admiração? São mães que se esforçam diariamente dando todo o afeto, atenção e cuidado que seus filhos necessitam, evitando que sofram com ausência destes pais que estão Vivinhos da Silva, sei o quanto é doloroso ver um filho enquanto criança clamar por um pai que não dá a mínima.

Assistindo aos filmes: “Uma babá quase perfeita”, em que mostra o quanto o pai preza em participar da vida dos filhos e do filme “Lembranças de outra vida”, em que o pai morre em um acidente e reencarna no corpo de um cachorro reconhecendo o quanto foi ausente na vida do filho e tendo a segunda chance de reconquistar o carinho e atenção do seu filho, observando como o tempo passou voando e o quanto seu bebê cresceu.

E se todo pai ausente tivesse a segunda chance? Como seria?

Não precisa nenhum pai/filho morrer para saber o valor e importância que um tem para o outro. Ser filho não existe sexo, cor, idade, religião, orientação sexual muito menos quantidade.

Pai: Que lembrança você deixará na vida de seus filhos? Saiba que NENHUM filho tem culpa: dos seus erros, se o seu casamento/relacionamento não deu certo ou se você tem vários filhos. Cada filho é uma benção que você recebeu e todos merecem a mesma dedicação. Você pai precisa ser presente para ser uma boa influência na personalidade do(s) seu(s) filho(s), pois ele(s) procura um exemplo de vida, a quem possa admirar e quem possa contar. Então, não espere está no leito da morte para fazer parte da vida de seus filhos, sejam pais na alegria e na tristeza, na saúde e na doença, pois filhos são para TODA vida e nem todos terão a segunda chance!

Filhos: Valorizem, respeitem e perdoem seus pais.


Renata Carvalho

Pequena, cheia de sonhos para realizar e emoções para dividir! Autora do blog: Um d'ocê de pimenta "www.umdocedepimenta.wordpress.com" .
Saiba como escrever na obvious.

deixe o seu comentário

Os comentários a este artigo são da exclusiva responsabilidade dos seus autores e não veiculam a opinião do autor do artigo sobre as matérias em questão.

comments powered by Disqus
version 1/s/recortes// //Renata Carvalho