Giseli Rodrigues

Especialista em Leitura e Produção de Textos, Gestão de RH e Gestão Empresarial. Professora. Escritora. Viciada em livros, viagens e chocolate. Fã de José Saramago e Amodóvar. Gosta de Arte Abstrata e rabisca com frequência. Tem um filho, escreveu um livro e plantou uma árvore. Mais textos podem ser encontrados em http://amorcronico.wordpress.com

Você não é superior a ninguém

Superiores e melhores são as pessoas que não julgam, não ridicularizam e não condenam ninguém. Que respeitam as diferenças, são empáticas e capazes de aceitar os outros como eles são. E estes, tenho certeza, não se julgam melhores do que ninguém.


superioridade.jpg

Nenhum de nós sabe se existe uma razão para estarmos neste planeta. Se existe vida após a morte, se vamos para o inferno ou paraíso, se existe reencarnação ou vida eterna, é tudo mistério. Mas temos muitas crenças, fé e explicações, ainda que não científicas, para justificar a nossa existência.

Podemos acreditar que nascemos por um motivo, que temos uma missão ou um karma. Podemos acreditar que seremos punidos pelos pecados, que vamos ressuscitar um dia, que cristo irá voltar. Ou não acreditar em nenhuma dessas coisas. E tudo bem. Cada um de nós tem a sua fé, a sua religião, a sua espiritualidade. Errado é julgar ser superior por ter uma crença diferente ou por não ter nenhuma.

São muitos os exemplos de pessoas que acreditam ser superiores e mais evoluídas do que outras. Pelas razões mais diversas. Lê muito e se acha mais inteligente do que quem não lê. Não assiste televisão e julga ignorante quem gosta de assistir. É vegetariano e considera errado quem come carne. Faz atividade física e acha preguiçoso quem não faz. Faz uma dieta balanceada e condena quem come o que quer. Fez faculdade e menospreza quem não vê relevância em fazer um curso superior.

Há quem não queira ter filhos e julga inconsequente quem tem muitos. Ou tem muitos e considera desalmado quem não quer ter nenhum. Dirige e não vê sentido em quem não sonha com uma carteira de habilitação. É rico e se considera melhor do que as pessoas que não são. Fala idiomas e julga incapaz quem nunca aprendeu nenhum. Escreve bem e ridiculariza quem não escreve dentro das normas.

Essas pessoas, além de chatas e inconvenientes, se acham superiores, melhores e mais evoluídas do que aquelas que agem e pensam de maneira diferente da delas. Mas quantas vezes nós já consideramos ignorantes, incultos, grossos e qualquer outra coisa, quem não está de acordo com a nossa maneira de agir e pensar? Somos humanos. Falhos. Errantes. E precisamos estar atentos aos nossos comportamentos. A ideia de que somos superiores aos outros só nos torna preconceituosos, intolerantes e egocêntricos.

Não é muita prepotência achar que só a nossa maneira de ver o mundo é a correta? Com tantos deuses julgar que só o nosso salva? Que com milhares de dietas só a nossa funciona? A ideia de que somos superiores nos distancia dos outros. E de nós mesmos. Menosprezando as diferenças que nos rodeiam, acreditando ser melhores, mais evoluídos, mais inteligentes ou mais qualquer outra coisa, nos fechamos para novas experiências e conhecimentos. Perdemos a oportunidade de ver o mundo sob uma perspectiva diferente.

Valorizar o que somos e nos orgulhar do que nos tornamos é positivo. Mas precisamos ter a exata noção de que somos apenas mais uma gota nesse oceano chamado mundo. Que não somos nada além de pessoas comuns, que ainda estamos em contínuo aprendizado e temos muito mais a aprender. Que, como já disse Paulo Freire, “não há saber mais ou saber menos: há saberes diferentes”.

Superiores e melhores são as pessoas que não julgam, não ridicularizam e não condenam ninguém. Que respeitam as diferenças, são empáticas e capazes de aceitar os outros como eles são. E estes, tenho certeza, não se julgam melhores do que ninguém.

Vamos guardar nosso ego num potinho e tentar ser melhores do que somos. Um pouco mais a cada dia. Todo dia.


Giseli Rodrigues

Especialista em Leitura e Produção de Textos, Gestão de RH e Gestão Empresarial. Professora. Escritora. Viciada em livros, viagens e chocolate. Fã de José Saramago e Amodóvar. Gosta de Arte Abstrata e rabisca com frequência. Tem um filho, escreveu um livro e plantou uma árvore. Mais textos podem ser encontrados em http://amorcronico.wordpress.com .
Saiba como escrever na obvious.
version 5/s/recortes// @obvious, @obvioushp //Giseli Rodrigues