Giseli Rodrigues

Especialista em Leitura e Produção de Textos, Gestão de RH e Gestão Empresarial. Psicóloga em formação. Viciada em livros, viagens e chocolate. Fã de José Saramago e Almodóvar. Gosta de Arte Abstrata e rabisca com frequência. Tem um filho, escreveu um livro e plantou uma árvore. Mais textos podem ser encontrados em http://amorcronico.wordpress.com

Goste de quem gosta de você

Se você chora mais do que sorri, dá mais do que recebe e só se prejudica nessa relação, repense. Goste mais de você do que do outro, porque você é a única pessoa que ficará do seu lado até o fim.


edu-lauton-71055.jpg

Depois de ouvir mais uma daquelas histórias de amor mal resolvido, em que a pessoa fica entre idas e vindas com o amado, eu fiquei me perguntando: por que algumas pessoas insistem em se relacionar com quem já demonstrou que não gosta delas? Será que não percebem? Ou desejam mudar o sentimento do outro?

A pessoa se envolve com quem é comprometido, acredita que a mulher do cara é doente, que ele não termina por causa dos filhos, que não tem tesão nenhum pela mulher, que vai chegar o dia em que ele terminará seu compromisso para eles ficarem juntos e felizes. Conheço uma mulher que esperou sete anos. Em vão, claro.

Conheço mulheres que se apaixonaram por homens que não queriam compromisso, alegando que não era o momento certo, o famoso “o problema não é você, sou eu”, mas assumiram compromisso, não com elas, tempo depois. Ou seja: o problema não era o momento, era a falta de amor mesmo. Não queriam compromisso com elas.

Mas ainda tem pior: algumas mulheres ainda continuaram ficando com esses homens. Algumas depois que o relacionamento deles terminam. Outras mesmo quando eles ainda estavam comprometidos com as mulheres por quem elas foram “trocadas”. Ficaram à disposição, como um produto na estante, para satisfazer o capricho e os desejos do outro. Acima dos seus.

Eu acho errado jurar amor quando não se ama, prometer o mundo para ter uma noite de sexo, fingir interesse se não deseja levar o relacionamento adiante, conquistar alguém por capricho, iludir alguém. Mas pessoas antiéticas, mentirosas e egoístas existem. Estão por aí espalhadas pelo mundo e não agiriam de maneira correta quando o assunto é relação amorosa.

Também entendo que é difícil tomar decisões conscientes quando se trata de paixão e compreendo quem, em algum momento da vida, age de maneira descompensada, desequilibrada e impulsiva na esperança de demonstrar amor e querer estar junto. Liga insistentemente, manda flores, coloca carro de som, dá presentes, escreve cartas, bate na porta do outro de madrugada. Mas para algumas pessoas esses comportamentos viram rotina e duram anos.

Quando o amor é recíproco ele não é difícil, não causa mal nem leva anos para se solidificar. Ninguém muda de ideia – e passa a amar – depois de insistência. Infelizmente. E as pessoas ficam ali, estagnadas, sem levar outro amor adiante na esperança de que aquele, enfim, um dia irá virar sua alma gêmea.

Não existiriam belas músicas de amor se todos os relacionamentos fossem correspondidos, perfeitos e felizes. Nem tão belas poesias, livros e filmes. A dor de amor está aí, em toda parte. Mas ela precisa ter fim.

Se você chora mais do que sorri, dá mais do que recebe e só se prejudica nessa relação, repense. Goste mais de você do que do outro, porque você é a única pessoa que ficará do seu lado até o fim.

E ouça Caetano. Aprenda a gostar de quem gosta de você.

"Agora não vou mais chorar/Cansei de esperar/De esperar enfim/E pra começar/Eu só vou gostar/De quem gosta de mim”


Giseli Rodrigues

Especialista em Leitura e Produção de Textos, Gestão de RH e Gestão Empresarial. Psicóloga em formação. Viciada em livros, viagens e chocolate. Fã de José Saramago e Almodóvar. Gosta de Arte Abstrata e rabisca com frequência. Tem um filho, escreveu um livro e plantou uma árvore. Mais textos podem ser encontrados em http://amorcronico.wordpress.com .
Saiba como escrever na obvious.
version 1/s/recortes// @obvious, @obvioushp //Giseli Rodrigues