vento sul

Entre tantas certezas, fico com a inquietude de minhas dúvidas

Wilson Jr.

Não engane-se com o "W", o meu "Wilson" começa com "V"...

Reclamo, Logo Existo

Reclamar é o primórdio para o fracasso. Cotidianamente, você se depara com pessoas insatisfeitas, infelizes e insaciáveis, cujo sua percepção de mundo é a mais crítica possível e suas atitudes, as mais brandas e incoerentes.


Capa.jpg

O nosso esporte favorito é reclamar. Quando buscamos interagir socialmente, seja com as pessoas que convivemos, com um desconhecido no elevador ou até mesmo contatos profissionais, reclamamos inconscientemente, o tempo inteiro. Infelizmente já pode ser considerado um comportamento habitual, a menos que seja abusivamente exagerado, e ser comum a impercepção pelo seu consciente. Ou seja, você reclama mecanicamente.

"Fulano de tal favoreceu o outro no processo seletivo, ciclano atrasou na reunião dos investidores, beltrano é um invejoso."

É como se reclamar nos tornasse mais próximos uns dos outros, pois basta entrarmos em uma discussão em qualquer esquina e veremos que reclamar é mesmo um esporte, provocando até rivalidade acentuada. Sim, as pessoas competem arduamente para ver quem pode reclamar mais. Um primeiro individuo indica sua primeira lamentação, mas o segundo integrante da discussão já acrescenta "Pior eu que..." e apresenta uma lamentação ainda maior. Assim vão se afundando nas lamúrias e logo estão viciados.

Imagem I.jpg

Reclamamos do patrão que nos cobra produtividade, mas esquecemos que isso acontece porque estamos empregados;

Reclamamos do professor que passa trabalhos para casa, mas esquecemos que estudar é uma oportunidade que muitos não tem;

Reclamamos dos nossos representantes pela sua corrupção, mas esquecemos que estacionamos na vaga do deficiente, usamos carteira de identidade falsa pra representar maioridade e entrar em festas, sonegamos impostos, ganhamos dinheiro no troco e não devolvemos, compramos produtos piratas, utilizamos sinais de televisão e internet através do famoso "gato". Não é uma generalização, mas é nítido o poder do famoso "jeitinho brasileiro" na concepção do povo.

E quando nos falta motivos para reclamar, a necessidade de encontrar novos culpados faz com que buscamos, fora de nosso poder, situações irreversíveis, porém dignas da prática de reclamar. Senhores e senhoras, lhes apresento o culpado dos culpados (supondo existir um possível ranking de culpas), o tempo. O tempo nunca agradará a maioria das pessoas, é indubitável.

Imagem II.gif "Mas só chove, hein? Quando é que teremos sol?"

O que nos falta é a percepção do quanto a hipocrisia e a ingratidão estão nos afetando, tanto socialmente quanto física e psicologicamente. Problemas como o mal humor, estresse, insatisfação são cada vez mais frequentes, causando prejuízos sérios a saúde. Precisamos praticar o desapego desse hábito negativo e investir nossas energia no desenvolvimento das soluções, e não dos problemas. Buscar ser grato por tudo que temos é uma ótima alternativa para nos reinventarmos.

Afinal de contas, você acorda todos os dias e imediatamente tem duas opções: você pode se levantar de sua cama e sair cuspindo reclamações aos quatro cantos ou pode demonstrar a gratidão por tudo que você tem e sair buscando o melhor de cada evento que atravessar o seu caminho. A escolha é apenas sua.

Entenda que não é preciso reclamar para demostrar descontentamento com algo. Tenha a percepção de que existem coisas que podem ser alteradas, e coisas que, feliz ou infelizmente, não podem. Se preciso for, comunique erros e não torne a pessoalidade maior inserindo culpas. Há uma diferença quase nada sutil entre ambas atitudes. O mundo pode ficar melhor se você fizer a diferença. Não reclame e você continuará existindo.

“Cuidado com suas palavras: elas se transformam em ação. Cuidado com suas ações: elas se transformam em hábitos. Cuidado com seus atos: eles moldam seu caráter. Cuidado com seu caráter: ele controla seu destino.” COELHO, Paulo. O Alquimista


Wilson Jr.

Não engane-se com o "W", o meu "Wilson" começa com "V"... .
Saiba como escrever na obvious.
version 1/s/sociedade// @obvious, @obvioushp //Wilson Jr.