viver à deriva e sentir que tudo está bem...

A vida é uma colcha de retalhos. Todos da mesma cor...

GCosta

Resposta certa, não importa nada: o essencial é que as perguntas estejam certas...

PAPPO E A MARAVILHOSA GUITARRA BLUSEIRA

PAPPO "EL CARPO" a essência do blues da latino América com sua guitarra que desafiou a ditadura argentina.


papos 1.jpg

Norberto Aníbal Napolitano nasceu em Buenos Aires, 10 de março de 1950 – faleceu em Luan, 25 de fevereiro de 2005, foi guitarrista, cantor e compositor de blues, rock e metal argentino, conhecido artisticamente como Pappo e apelidado "El Carpo". Sem dúvida o mais importante guitarrista da Argentina. Em uma breve temporada na Inglaterra participou o início do Motorhead. Tocou depois com Peter Green. Além do Pappo's Blues participou da Banda de Heavy Metal RIFF. Faleceu em um acidente em que um carro em alta velocidade colidiu com sua moto matando-o instantaneamente. Seu filho que também estava na moto saiu ileso do acidente.

papos 2.jpg

Pappo's Blues (1971) PAPPO'S E O BLUES nasceu em 1970 após a passagem de "El Carpo" por Los Abuelos de La Nada e Los Gatos. Inicialmente foi composto como Power trio por Pappo na guitarra e vocal, David Lebon no baixo e o baterista Preto Amaya.

Pappo's Blues Volumen 2 (1972)

A banda sofreu constantes trocas na sua formação durante os anos. Com Lebón y Amaya realizaram o primeiro disco homónimo em 1971. Ao terminar de gravar o disco Black tocaria com La Pesada, y Lebon a Color Humano, como baterista.

Pappo's Blues Volumen 3 (1973)

O segundo álbum ("Vol. 2") de 1972 tocaram Black Amaya y Luis Gambolini na bateria, Carlos Pignatta, no baixo, entre outros. No terceiro álbum ("Vol. 3"), a formação contou com Héctor "Pomo" Lorenzo, ex Abuelos de La Nada, na bateria e "Machi" Rufino no baixo e vocal. Estes dois últimos se desvincularam para formar com "El Flaco" Spinetta o Grupo Invisible. Pappo's Blues Volumen 4 (1973)

Para gravar o quarto álbum ("Vol. 4"), nos fins de 1973, retornaram David Lebón (guitarra) e Black Amaya (batería), e se incorporaram Alejandro Medina no baixo e Isa Portugheis na percussão. Para o quinto álbum ("Triângulo"), editado em 1974, Pappo chama o baixista Eduardo Beaudoux ("Fanta") e o baterista Eduardo Garbagnatti, criando uno dos discos más experimentais e obscuros de sua carreira, com sonoridades com atonalidade com o progressivo e heavy metal. O álbum, chamado de Triângulo como Vol. 5, participam "Nacho" Smilari (ex-Vox Dei), e León Gieco com vocal.

Pappo's Blues Volumen 5, Triangular (1974)

Com este disco Pappo viaja a Europa, a banda se desentende com a gravadora (Music Hall), e decide lançar um álbum composto por “El Carpo o álbum Vol. 6, em 1975, outro álbum estranho que no chegava a 30 minutos de duração, apresentando um blues rock ácido e pesado, este álbum cuja edição, Pappo não foi consultado”. Ao voltar Pappo à Argentina, entre 1977 e 1978, a banda se integraram com "Cornejo" Jolivet (de Los Dulces 16), na guitarra, Júlio Candia no baixo e Marcelo Pucci na bateria. Pappo's Blues Volumen 6 (1975)

Compraram um ônibus, e iniciaram uma tour, pela Costa Atlântica na Argentina; tocaram em Necochea, sem ensaiar, com o conhecimento dos integrantes da música de Pappo. Tocaram com Rafael Castillo, conhecido empresário de rock; também em Lanús y Avellaneda e Baradero. Em 1977, Pappo desativa a banda momentaneamente, para um novo projeto, chamado Aeroblus, junto al baterista brasileiro Rolando Castello Junior e com Alejandro Medina no baixo, e editam um disco homónimo pela Gravadora Philips, o projeto dura pouco. Pappo's Blues Volumen 7 (1978) Em 1978, Pappo grava edita o sétimo álbum oficial de Pappo's Blues ("Vol. 7"), junto com Alejandro Medina no baixo e Darío Fernández na bateria, este álbum é composto de velhos temas com um som mais pesado e com um par de temas instrumentais. Pappo fixa residência na Europa (Londres) uma vez mais e voltaria em 1980.Em 1980 Pappo organizou um recital bajo com o título "Adiós Pappo's Blues, bem-vindo Riff", que marcou o fim oficial da banda: durante o resto dos anos 80, “El Carpo" se dedicaria ao heavy metal, e a banda Riff outro projetos efêmeros, viaja para Los Angeles. Pappo's Blues Volumen 8, Caso cerrado (1995)

Em 1991 reorganiza Pappo's Blues alternando momentos com a banda Riff e editando discos com as mais diferentes bandas no mesmo ano. Em 1995, grava "Pappos Blues Vol.8 Caso Cerrado", junto com o baixista Machy Madco y Black Amaya na bateria, entre outros músicos. Último disco de estúdio de Pappo's Blues foi “El Auto Rojo”, CD editado em 1999.

El auto rojo (1999)

RIFF

RIFF.jpg

Riff foi à banda argentina de hard rock y heavy metal fundada em Buenos Aires em 1980 por pelo guitarrista Pappo. Um dos principais grupos de rock pesado no idioma espanhol e um dos grupos que mais desafiaram a ditadura argentina.

papos.jpg


GCosta

Resposta certa, não importa nada: o essencial é que as perguntas estejam certas... .
Saiba como escrever na obvious.
version 3/s/musica// @obvious, @obvioushp //GCosta