viver à deriva e sentir que tudo está bem...

A vida é uma colcha de retalhos. Todos da mesma cor...

Geraldo Costa

"Em tempos de engano universal, dizer a verdade é um ato revolucionário" (George Orwell)

Orquestra Popular de Câmara

O grupo, formado em 1997, tem trazido uma nova sonoridade ao universo musical brasileiro a partir do encontro do mundo contemporâneo com o tradicional.


orquestra popular.jpg

O grupo, formado em 1997, tem trazido uma nova sonoridade ao universo musical brasileiro a partir do encontro do mundo contemporâneo com o tradicional. Dos instrumentos ligados à cultura urbana, como saxofone, piano, cello e contrabaixo, ao rural da viola caipira, bandolim, acordeom, zabumba e pífanos. O disco Orquestra Popular de Câmera foi vencedor do Prêmio Movimento/99.

opcorquestra.jpg

Criado para o evento Sons de Orquestra, do Sesc Pompéia, desde então, vem se apresentando em eventos como Da sanfona à Sinfonia, com a participação de Naná Vasconcelos e Tião Carvalho; Festival Chorando Alto, com o bandolinista americano Mike Marshall e o grupo de choro Isaías e seus Chorões. Foi, também, uma das atrações da inauguração do Sesc Vila Mariana.

Um lindo arranjo da Orquestra Popular de Câmara para Bayati, canção de Eldar Mansurov, compositor do Azerbaijão

Participou, com grande sucesso, do Fórum de Música Instrumental, no Rio de Janeiro e faz shows desde 1998 no Supremo Musical, além de turnê pelo estado de São Paulo. No final de 1998 lançou seu CD num evento que reuniu diversos nomes ligados à Gravadora Núcleo Contemporâneo, no Sesc Pompéia. No ano seguinte, ganhou o “Prêmio Movimento – Melhor CD”. Apresentou-se no Festival de Jazz de Miami (EUA), Festival Guiomar Novaes, em São João da Boa Vista e Centro Cultural Banco do Brasil, no Rio Janeiro.

“Danças, jogos e canções” é o segundo álbum da Orquestra Popular de Câmara , lançado pela gravadora Núcleo Contemporâneo em 2003. Foi gravado ao vivo no SESC Ipiranga em outubro de 2002, produzido por Benjamim Taubkin e Teco Cardoso. Formação: Mônica Salmaso (voz), Ari Colares (percussão), Benjamim Taubkin (piano), Caito Marcondes (percussão), Dimos Goudaroulis (violoncelo), Guello (percussão), Lulinha Alencar (acordeon), Mané Silveira (flauta), Ronen Altman (bandolim), Teco Cardoso (flauta), Sylvinho Mazzucca (contrabaixo) e Zezinho Pitoco (percussão).


Geraldo Costa

"Em tempos de engano universal, dizer a verdade é um ato revolucionário" (George Orwell) .
Saiba como escrever na obvious.
version 7/s/musica// @obvious, @obvioushp //Geraldo Costa