Vivi Becker

30 anos, leonina com ascendente em câncer, aspirante a escritora das coisas, bruxa nas horas vagas, amante de café, gatos, vinho, livros, filmes, séries, moda, tarôs e misticismos.

Vamos Parar de Julgar a Felicidade das Pessoas?

Tem muita gente querendo categorizar o que as pessoas fazem da sua vida nas redes sociais, e esquecendo de ver o lado bom das coisas. Tudo tem dois lados e já passou da hora de julgarmos menos e deixarmos as pessoas serem felizes do jeito que quiserem.


facebook-youtube-líderes-acessos-blueberry.jpg

Ninguém é feliz 24 horas por dia. Não se engane. E aquelas pessoas que parecem ser felizes o tempo todo, não estão tentando te enganar. Simplesmente, elas gostam de compartilhar com você o que há de lindo no mundo, fotos de suas melhores versões, fotos de seus melhores momentos, motivações, pensamentos. Assim como tem gente que gosta de compartilhar catástrofes, terror, mazelas.

Existe muito julgamento no mundo, nos dias de hoje, julgam o que tu posta nas redes sociais, julgam quando tu tens um posicionamento diferente do outro, julgam o que tu vestes no dia a dia, julgam até mesmo o que tu comes diariamente, e isso está deixando algumas pessoas, como eu, de saco cheio. Cada dia tu descobre que tem problemas por algum motivo sem sentido, ou por que posta motivação demais, ou por que posta fotos demais com teu companheiro, ou por que posta fotos demais do teu animal de estimação.

Li uma matéria esses dias que um casal feliz é aquele que não tem vestígios da vida deles nas redes sociais, certo, e se aquele casal gostar de expor um pouco que seja da sua vida em alguma mídia? Por incrível que pareça, existe gente que é romântica de verdade, que gosta de escrever declarações de amor diariamente no perfil do amado, não é meu caso, mas amaria ser assim.

Outra matéria dizia que quem posta selfies, tem problemas mentais, ok, comecei a me enquadrar em vários quadros psicológicos diferentes, só rodando o meu feed de notícias, sem ter ido a um psicólogo de verdade. Cheguei a ficar preocupada por um momento, mas depois de refletir por meio segundo, percebi que tanto faz, se está me fazendo bem, tenho mais que continuar realizando.

As pessoas gostam muito de rótulos e esquecem que cada um tem uma forma diferente de viver e de agir. Tem pessoas que realmente são felizes em redes sociais, tem pessoas que são felizes sem ter perfil em lugar algum. E tu pode ter certeza, que mesmo aqueles que atualizam muito suas redes, não compartilham nem 10% do seu dia a dia, óbvio que tudo é editado, óbvio que são tiradas 30, 50 fotos para salvar uma. Óbvio que as legendas das fotos são pensadas, para fazerem outra pessoa refletir. E qual o problema nisso tudo?

Tristezas, solavancos do quotidiano, amarguras, alegrias secretas, risadas, compartilhamos diariamente com aqueles que estão no nosso círculo de intimidade, a vida editada, compartilhamos nas redes, e tem dias que a gratidão é tão grande que compartilhamos com o mundo, o que foi super facilitado com o boom das mídias sociais.

Um inspira o outro pelas redes, e só consigo ver benefícios nisso, são os amigos de infância que se reencontram, é aquela pessoa que estava triste e vê uma imagem bonitinha e melhora seu dia, é aquele casal que se conheceu pelo site de relacionamento, é aquela pessoa que descobriu um novo jeito de ganhar dinheiro, é aquela profissão que surgiu, é aquela menina que gosta de escrever para vocês, viu, só benefícios. É muita gente cagando regra e pouca gente vivendo a vida de verdade. E o viver de verdade como tudo na vida teve um upgrade, e tem gente que vive de verdade, com as redes complementando isso.

Vamos deixar as pessoas serem felizes do jeito que elas querem?


Vivi Becker

30 anos, leonina com ascendente em câncer, aspirante a escritora das coisas, bruxa nas horas vagas, amante de café, gatos, vinho, livros, filmes, séries, moda, tarôs e misticismos..
Saiba como escrever na obvious.
version 1/s/sociedade// @obvious, @obvioushp //Vivi Becker