voar é preciso

Se há leveza, eu voo. Se a vida chama, eu vou.

Cláudia Alves

Amante de voos e sorrisos. Se há leveza, eu voo. Se a vida chama, eu vou. Afinal, voar é preciso.

O futuro que não escolhemos

Traçamos, em uma linha de desejos e sonhos, o futuro que viveremos. E no presente nos damos conta de que esse futuro não existe. Nunca existirá. E que não exista.


quando-crescer.jpg

O que você quer ser quando crescer? Depois de qual o seu nome e quantos anos você tem, essa é a pergunta mais recorrente quando somos crianças.

Desde cedo, somos induzidos a pensar em o que queremos ser. Isso, resumido a uma escolha profissional. Nesse sentido, uma profissão é o que definirá você e todo o seu futuro.

Uma criança pouco sabe o que ela é. Tão pouco sabe o que será. Por que tanto queremos saber o que uma criança quer ser quando crescer se nem nós mesmos, enquanto jovens, adultos ou idosos, ainda não sabemos o que somos e o que queremos ser?

Traçamos, em uma linha de desejos e sonhos, o futuro que viveremos. E no presente nos damos conta de que esse futuro não existe. Nunca existirá. E que não exista.

É entre o passado e o futuro que estão os caminhos que desconhecíamos quando respondíamos o que queríamos ser quando crescer. E esses caminhos, cheios de rotas e desvios, nos levam além do que imaginávamos chegar.

Somos, por natureza, controladores. Não temos como controlar todos os passos de nossas vidas. Mas planejando o futuro é o mais próximo que chegamos desses passos.

Estamos sempre cheios de planos para o futuro. Pouco nos notamos que o presente de agora é o futuro de ontem. E quando notamos, respondemos que esse ainda não é o futuro que escolhemos.

Quantos partiram dessa vida sem viver o futuro que escolheram? Quantos vivem ainda no desejo de concretizar o que queriam ser quando crescer, mesmo já crescidos, só para pôr The End na história que escrevera para si?

Felizes daqueles que se tornam o que queriam ser e que vivem o futuro que escolheram. Ou infelizes?

Talvez seja essa a nossa sentença. Viver fora da gaiola que construímos para nós mesmos. Ou viver dentro dela.

Aos cinco anos de idade, quando John Lennon foi perguntado, na escola, sobre o que queria ser quando crescer, ele escreveu “feliz”. E é esse o nosso maior desejo, independentemente de nossas idades. Quem sabe, quando um dia pararmos de responder a “o que você quer ser quando crescer?” com médico, engenheiro, advogado, astronauta ou artista, sejamos mais felizes em nossos futuros e vivamos o futuro que escolhemos.

Afinal, o que somos não é quem somos.

Hoje, você é o que quis ser?


Cláudia Alves

Amante de voos e sorrisos. Se há leveza, eu voo. Se a vida chama, eu vou. Afinal, voar é preciso. .
Saiba como escrever na obvious.
version 2/s/recortes// @obvious //Cláudia Alves